Drop us a line

4º Concurso – João Bananeira

Regulamento

Veja as informações para participar do concurso.

Selecionados

Veja a lista dos selecionados para o 4º Concurso - João Bananeira

Sobre

Tradição, religiosidade, folclore e cultura. O Carnaval do Congo de Máscaras em Roda D’água representa a memória e a história do povo de Cariacica ilustrado na festa das cores e do ritmo dos tambores e da casaca. Como símbolo da cultura do município, o congo de máscaras mantém acesa uma das mais representativas manifestações folclóricas do Estado.

Até o dia 13 de abril, quando é realizado o Congo de Máscaras, iremos abordar toda sexta, uma matéria especial com personagens, história e divulgação dos festejos. Nesta semana, ilustramos a representatividade folclórica dos mascarados em meio à congada evidenciada na figura do personagem João Bananeira.

João Bananeira, ícone do Carnaval do Congo de Máscaras de Cariacica
Incorporado originalmente ao carnaval de congo de Cariacica, a figura do mascarado equilibra fantasia e realidade da identidade folclórica da congada. Com o rosto coberto pela máscara e o corpo tapado com folhas de bananeira, o mascarado se junta ao cortejo acendendo o imaginário das rodas de congo.

Conforme os relatos dos mais antigos, no meio da procissão, negros e escravos colocavam máscaras para cobrir os rostos e até mesmo usavam meias nos braços para não serem identificados e, assim, participarem do cortejo. Com o tempo, transformou-se numa brincadeira e foi incorporada à tradição da festa folclórica.

O mistério do personagem está em não divulgar quem está por trás da máscara, sendo revelado somente ao final da apresentação. Antes, ainda com as tradições mais enraizadas, para conseguir que não fossem identificados, os mascarados se vestiam nas plantações de banana da zona rural do município.

A dança e irreverência dos mascarados acompanham o som dos tambores e a voz dos congueiros que entoam antigas canções para homenagear a padroeira do Espírito Santo, Nossa Senhora da Penha. A memória acompanha a história do congo da cidade, reforçada no ícone da manifestação popular representado pelo João Bananeira, chamado por alguns de Zé Bananeira.

Fonte: Site da Prefeitura

Fotos